Archive for the 'smiles on the face' Category

;)

Como em meu último post a coisa estava bem feia e triste, achei que era minha obrigação vir até aqui e dizer, um ano depois, que estou bem e sobrevivi!

Não que alguém tenha perguntado ou se importe, maaaaas, não achei honesto deixar uma mensagem triste dessas como a última deste blog. Prefiro fazer a Poliana e jogar o jogo do contente, com a diferença que hoje estou contente de verdade 😉

Há um ano atrás chutei o pau da barraca, disse tudo que estava engasgado, bati portas, gritei o que tinha que gritar e fiz a louca. Funcionou.

Nada mais libertador fazer a louca de vez em quando.

Pensem com carinho nisso.

Anúncios

Amadurecendo e aprendendo a ser gente.

Eu tenho uma teoria de que as pessoas começam a ficar velhas quando passam a gostar do bombom de fruta que sempre sobra na caixa. E não porque sobrou e só existe aquela fonte de chocolate, mas porque de fato, como um milagre da natureza, você passou a gostar do sabor da banana misturada ao chocolate. E considere que em geral crianças detestam isso, só os adultos comem. 😛

Eu me considero adulta porque eu sempre como esses bombons, rsrsrs. E aliado à isso, comecei a me arrepender por ter magoado algumas pessoas na vida. Isso só pode ser assim porque estou ficando velha. 😛 Afinal, aos 17, por mais que tentasse ser uma boa cristã, eu não media minhas palavras e arregaçava mesmo. Acho que chateei muita gente. Bom, é… tenho certeza.

Agora, enxergando melhor algumas coisas (porque eu ainda continuo míope, só que estagnada), me pergunto se eu realmente precisava ter sido tão malvadinha, ainda que sem perceber. Ainda que não tenho sido de propósito. Talvez por pura falta de jeito ou de alternativa. Ou imaturidade, não sei ao certo.

Não estou escrevendo sobre isso só por causa do balanço de final de ano, na realidade tenho feito essa reflexão há alguns meses. E porque antes de mais nada, acredito que podemos evoluir, crescer e nos tornar pessoas melhores, especialmente ao lidar com o outro.

Não sei se a vida vai me permitir encontrar com as pessoas a quem magoei  para que eu possa pedir desculpas. Talvez nem seja necessário tudo isso. Talvez basta que eu mesma reconheça que errei por muitas vezes, e magoei tantas outras e diga em pensamento: desculpe. E depois me perdoar também, afinal, eu vivo me cobrando demais por perfeição.

E depois disso, passar a viver e ser ainda mais feliz. Mesmo porque, nessa estrada não vivemos apenas para magoar as pessoas, parte também é dedicada a trazer mais alegria e fazê-las um pouquinho mais felizes, ainda que por breves momentos.

E que venha 2011!

Vamos que vamos 😀

Sobre quando acreditamos em algo…

Sabe a historinha que contei no último post? Sobre aquele versículo tão especial? Pois é, como eu sempre digo, ele funciona para minha vida! Colegas e todas as pessoas que passam por este blog (e algumas vezes páram para ler, rsrsrs), saibam que, ótimas notícias vieram para mim logo pela manhã (passei no mestrado!!!), provando que absolutamente nada é impossível quando trabalhamos pelo nosso objetivo e confiamos em Deus.

Porque com Ele todas as coisas são possíveis. Acredite!

Agora que já compartilhei e agradeci por isso, vou ali comemorar! 😀

Bjos!!!

Parabéns!

cutecolorsj7

Em homenagem ao nosso dia, à nossa vocação, ao nosso chamado para ensinar, evangelizar… plantar sementes nos corações…

Heal my heart and make it clean
Open up my eyes to the things unseen
Show me how to love like you have loved me

Break my heart from what breaks yours
Everything I am for your kingdoms cause
As I go from nothing to
Eternity

Para que avancemos por águas mais profundas e pesquemos vidas para Jesus. Parabéns catequistas!

Da existência…

Acreditem,  as pessoas que vivem em função de provar a inexistência de certas coisas, bem como tentar convencer os demais a desacreditarem nisto também, certamente se sentem muito incomodadas com a presença real daquilo que elas julgam inexistente.

Por qual razão eu penso desta maneira?

Bem, aquilo no qual eu não acredito, não me incomoda. É indiferente a mim. Só as coisas nas quais acredito de fato, conseguem me incomodar, ou mexer em meu íntimo de alguma forma.

Aquele que diz não acreditar em Deus e adora atacar a fé daqueles que acreditam, tentando convencê-los do contrário por meio de comentários indigestos, em minha opinião, parece não estar muito seguro do que acredita. Para ele  Deus não existe, então lhe bastaria  ter a certeza disso. Para quê copiar a estratégia de ação exclusiva de Deus ao tentar “evangelizar as pessoas” com a certeza dele? Será que nem nesse aspecto esta pessoa consegue ser inovadora?

Deixa-se  incomodar demais, por algo, que para ele, simplesmente não existe. Então, se Deus não existe, por que se dá ao trabalho de se incomodar?

Se Deus, de alguma maneira, é algo que te incomoda, caro amigo,  pode acreditar, Ele existe de alguma maneira ou de outra para você.

E isso é tão fantástico! 🙂

Para Edu

cutecolorsanibear14

Estava pensando sobre o quê exatamente escrever hoje. Tem dias que as palavras fogem um pouco da gente… Então eu fiquei me perguntando onde é quecutecolorsanibear15 guardei aquelas minhas palavras  bonitas. Acho que guardei dentro do meu coração, para que depois pudessem ser ditas no silêncutecolorsanibear13cio de um abraço e na intimidade dos olhares.

Ainda sim, pego emprestadas as palavras de Pablo Neruda, em Cem Sonetos de Amor, para revelar apenas algumas pequenas coisas, guardadinhas cá dentro. Espero que goste. Você é o meu amor. ^^)^^

A Dança

Não te amo como se fosses a rosa de sal, topázio
Ou flechas de cravos que propagam o fogo:
Te amo como se amam certas coisas obscuras,
Secretamente, entre a sombra e a alma.
Te amo como a planta que não floresce e leva
Dentro de si, oculta, a luz daquelas flores,
E graças a teu amor vive escuro em meu corpo
O apertado aroma que ascendeu da terra.

Te amo sem saber como, nem quando, nem onde, Te amo assim diretamente sem problemas nem orgulho:
Assim te amo porque não sei amar de outra maneira,
Senão assim deste modo que não sou nem és,
Tão perto que tua mão sobre o meu peito é minha,
Tão perto que se fecham teus olhos com meu sonho.

Antes de amar-te, amor, nada era meu:
Vacilei pelas ruas e as coisas:
Nada contava nem tinha nome:
O mundo era do ar que esperava.
E conheci salões cinzentos,
Túneis habitados pela lua,
Hangares cruéis que se dependiam,
Perguntas que insistiam na areia.
Tudo estava vazio, morto e mudo,
Caído, abandonado, decaído,
Tudo era inalianavelmente alheio,
Tudo era dos outros e de ninguém,
Até que tua beleza e tua pobreza
De dádivas encheram o outono.

Feliz Aniversário!

Era uma vez, uma menina que nasceu no dia 05 de maio de 1987 ás 10:33  da manhã, na maternidade Neomater, em São Bernardo, São Paulo.

gucci_scarpina

Daí a menina começou a crescer, e papou tudinho para crescer forte. E ela foi crescendo forte…

Menina

Crescendo… crescendo… Deixou de ser menina e foi virando aos poucos mulher. E hoje olha só o que ela é!

Dois patinhos na lagoa, 22 aninhos, jovem, pirralhinha, seja lá o que for… Estou muito feliz para ser quem sou. Parabéns para mim!

boloaniversc3a1rio


Flickr Photos

outubro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

RSS Twitter

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.