Archive for the 'fazendo a social' Category

Carboidratos & Serotonina

Olá queridos e amados, eu voltei. Voltei formada na faculdade. Colei grau quinta-feira passada. Mas como ainda sou uma formada-desempregada (por pouco tempo, pois tenho planos malévolos de dominação mundial), agora possuo mais tempo disponível para exercitar, digamos, meu ócio criativo.

Bobagem, o fato é que estou um posso de ansiedade e em menos de 1 semana em casa não vejo a hora de pegar meu caminho da roça-de-todo-santo-dia e trabalhar. Porém, paciência é uma virtude que preciso cultivar, então, estou começando acreditar que todo tempo de espera nessa fase se faz um pouco (só um pouco!) necessário. Enquanto isso eu surto um pouco com a minha ansiedade e viro aloca dos carboidratos. Todo pão, torrada, barrinha de cereal, biscoito maisena, vira alvo fácil de ataque. E não existem fibras solúveis e insolúveis que me bastem para saciar o monstro que atualmente habita meu estômago. Que caos, é o vazio interior, meus caros.

Sem contar as trocentas mil decisões que preciso tomar. Meu cérebro tem clamado por piedade e serotonina, acima de tudo. Preciso providenciar grão-de-bico para evitar problemas maiores, como uns quilinhos a mais no futuro. Tomar vergonha nessa minha cara sem-vergonha e começar a caminhar e me mexer, para gastar as energias acumuladas. E ler, e voltar a pintar, como antes. Além de procurar emprego, hehehe, claro.

Bem, toda essa minha ladainha lamurienta aqui, na realidade,  serve apenas para avisar que voltei para o meu blog pessoal. Que a princípio serviria de diário, mas ai ai, prefiro dizer que aqui voltou a ser o lugar onde venho contar minhas peripécias do cotidiano, e tudo o  mais que vai acontecer daqui para frente, nessa nova etapa. Ainda que eu não esteja tão fresca assim. Enfim, espero que alguém fique por aqui me acompanhando, nesse meu folhetim romântico, ehehehehe hehehhehe.

Besos!!! 😀

Anúncios

Eba!!!

Olha pro céu, meu amor
Vê como ele esta lindo
Olha pra aquele balão multicor
Como no céu vai sumindo
Foi numa noite igual a esta
Que tu me deste o coração
O céu estava assim
em festa
Pois era noite de São João
Havia balões no ar
Xote e baião no salão
E no terreiro do seu olhar
Que incendiou meu coração

De novo! =D

Sexta passada, finalmente o retorno das reuniões de cúpula. Em meio aos relatos das últimas aventuras, me acabei no Hot Filadelfia. Um sushi nada tradicional, eu sei. Mas, mas…é tão bom! Arroz recheado com cream cheese e salmão, enrolado na alga (nori) e passado na massa de tempurá e frito. Quero mais! Ok, isso não é saudável. Mas é só uma exceção para uma ocasião tão especial: os velhos amigos reunidos. Por eles até me arrisco nas gorduras saturadas, rs. 😉  É sempre bom estar com eles, seja onde for…

Tirando a poeira…

É ridículo, eu tenho que concordar e rir da minha própria idiotice, rs, mas ainda estou naquela fase dos primeiros dias em que tudo é muito legal e novo, e que você acha que metrô foi a uma das coisas mais úteis que inventaram no que se refere a transporte público… ehauhauhaua. Ok, paro por aqui com a “síndrome de província”, rsrs. 🙂 . Mas convenhamos que é muito fácil se habituar com aquilo que é bom, principalmente quando fazemos algo com prazer.

 Hoje pela manhã percebi pelas pessoas que estavam em minha sala e pelas informações que estava absorvendo, que realmente estava em um dos lugares onde as coisas realmente acontecem… As informações pipocam, as idéias surgem e os novos conceitos e definições são criados. Parece até ousadia afirmar, contudo, acredito sim, que esta seja uma das fontes (de várias obviamente) de algumas cabeças pensantes.

Estou encantada pelo simples fato de estar bem diante daquilo que  eu sempre quis. Se antes tinha apenas uma leve impressão do que desejava, agora com uma visão mais nítida e real , digo que estou mais  apaixonada ainda por esta realidade. Porém, muito além do encantamento inicial, percebo a importância de me movimentar ainda mais, correr em direção aos meu objetivos. Simplesmente não posso me dar ao luxo de ver o tempo escorrer entre meus dedos e perder oportunidades, porque estas existem sim ( a cada dia estou mais convencida disso ;)), para quem está disposto e atento. 🙂 😀

Metrópole & Sushi

images.jpg

Postando direto de Sampa. Cheguei logo cedo, sem maiores problemas. Ontem conheci a Jana Calaça, que é um doce e que me fez dar boas risadas. Aliás, o sushi de ontem (que é gostoso, claro… rs) não seria tão bom sem a companhia do Edu, Jana e Fábio. Fizeram toda a diferença. Adorei.  😉 😀

Arranjei um tempinho para postar algo da biblioteca da FSP/USP, o primeiro lugar que resolvi visitar quando estava passeando pelo campus. Rsrs, como se fosse novidade para quem me conhece… Estou aproveitando meu tempinho livre até sexta. Vou fazer um esforço para postar algo durante o tempo em que estiver por aqui. Isso, se tiver uma maior facilidade de acesso a internet. 🙂

Férias da Mafalda III – A praia

00060py3.jpg

Finalmente, depois de alguns dias, fui a praia. Manguinhos. Só agora posso dizer que estou oficialmente de férias. Penúltimo dia do ano. Férias…Férias…Férias… Ócio total e a mais pura celebração da falta do que fazer aliada a preguiça  costumeira no verão dessa terra tropical! Chega a ser monótono, pois tudo o que vejo nas minhas andanças se resume a: praia, rede, rede, praia, churrasco, dormir, dormir, dormir…

Depois do meu “banhozinho” no mar, sentei na minha cadeirinha para olhar o céu azul, raios de sol brilhantes, rsrs, e aquela visão poética da orla. E claro, as pessoas. Você dá boas risadas observando as pessoas na praia. Não há espaço mais democrático, lá você observa de tudo. De tudo mesmo. Uma água-de-coco, mais uma observada no movimento. Aquele sol começando a arder e chega. Melhor ir antes que fique tostada à pururuca. Em casa, limpa e livre de areia, depois do almoço, ehehehe, dormir! Êita falta do que fazer adorável! 😀

Isso porque no dia 07 essa moleza toda acaba… Boa vida não dura por muito tempo. Risos. 😉

Jingle Bells

mafalda_1.jpg

 Ontem cheguei à conclusão de que essa é uma das piores combinações da sociedade moderna: shopping + compras de Natal. O resultado sempre é estresse-cansaço-encheção-de-paciência. Filas imensas e intermináveis. Dores nos pés. Empurra-empurra. Gente sem educação (se bem que o estoque para gente sem educação é suficiente para o ano todo!ehehehe). 

E um dos meus pesadelos: músicas natalinas. o_O

Chega a me arrepiar ouvir aquele sonzinho que parecem violões misturados a sinos e sininhos e sei-lá-mais-o-quê, em que eu mal consigo definir o bendito do instrumento tocando. Isso me deixa particularmente incomodada, porque sempre, sempre, começa a tocar esse tipo de música quando estou na fila do caixa. E veja bem, não é uma fila qualquer. É A fila! Sim, aquela serpente-torta-gigantesca que começa lá onde o Papai Noel perdeu as botas e termina em um infinito distante… Ela vem acompanhada de uma verdadeira trilha sonora para a tortura das compras de final de ano.

 Você fica lá, parado, olhando para a mesma direção. Seus olhos já não conseguem mais distinguir outras cores além de vermelho e dourado. Bolas-laços-laços-bolas-luzinhas-piscantes. Risos. E aquele empurra-empurra, um monte de gente em um mesmo lugar. Até que suas pernas começam a doer. Você muda de posição. Aquela musiquinha martelando na sua cabeça, jingle bells jingle bells jingle bells… Você tenta se concentrar no joguinho espacial do seu celular, no torpedo… E suas pernas doendo…e a musiquinha… e as pernas…e a musiquinha…jingle bells jingle bells jingle bells… Por Deus!

 Desconfio que exista uma certa ordem para colocar essas músicas de Natal: primeiro, as instrumentais, que tem a capacidade de martelar na sua cabeça horas a fio, de maneira insistente e irritante. Depois as de propaganda de Natal da própria loja, que em geral são a mesma coisa todos os anos, com pequenas alterações. Ou seja, bregas. E por último, as músicas cantadas por um coro: deprimentes. Soam tão tristes que você pensa que está em uma marcha fúnebre ao invés do nascimento de Jesus. +_+
E suas pernas doendo…e a musiquinha… e as pernas…e a musiquinha…, jingle bells jingle bells jingle bells, minha casa já, minha casa, minha casa, minha casa já! Já!

Moral da história: não vá ao shopping nesses dias, dá câncer. Você fica estressado. E estresse em excesso, dá câncer oras! 


Flickr Photos

outubro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

RSS Twitter

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.