Nas linhas do trem

Casas, prédios, fábricas, muros cinzentos, fumaça e neblina. Tudo passando, ficando para trás… “One more day and is not the same…” Era isso que estava soando em meus ouvidos. Mas mil imagens estavam em meus olhos. Lembranças. Tantas delas… Como foi difícil retornar ao lugar no qual elas persistem e perceber que algo ficou incompleto. O tempo passa, as pessoas também. Fica a ausência.

Lágrimas, dor, sorrisos da felicidade que passou e marcou… Tudo isso se misturando dentro de mim. Todas as recordações da minha infância transbordando… E aquilo que era fumaça e neblina, muros cinzentos, fábricas e concreto, adquiriram um nova cor, um novo cheiro, remanescentes do tempo em um ano parecia durar uma eternidade, fazia sol todos os dias, meus pais pareciam gigantes, e eu tinha uma fada-madrinha, literalmente. E ela era de verdade. Fazia mágicas na cozinha e tinha o poder de me fazer me sentir uma princesa, mesmo quando queriam fazer que me sentisse como um patinho feio. Depois do amor de mãe, tinha o dela, zelando por mim.

Agora fica minha saudade. E meu pedido de reconforto Naquele que sabe todas as coisas e faz sempre o melhor…

Anúncios

4 Responses to “Nas linhas do trem”


  1. 1 Jana fevereiro 8, 2008 às 3:07 am

    Nós e o famoso “saudosismo” algo que não tem explicação e sim momentos… que de tão pequenos, são tão eternos…

    E já partiu….?

  2. 2 Janaína Calaça fevereiro 8, 2008 às 9:55 am

    :**********************
    Dessa, eu sei bem que sensação essa quando revisitamos a cidade onde nascemos. Dá vontade de ficar, de enraizar novamente, de resgatar o tempo que se foi e não volta. É assim que me sinto quando volto à Salvador. No entanto descobri também que com o passar do tempo a gente aprende a nascer no outro lugar, a criar vínculos, a criar pequenas paixões. Antes ser cidadão de lugar algum me doía, hoje eu aprendi de alguma forma a lidar com meus deslocamentos.

    Beijoooooooooooooo,

    Jana.

    P.S: VOcê é uma fofa!!!!!!!!!

  3. 3 Eduardo Maçan fevereiro 8, 2008 às 8:22 pm

    Eu até hoje não sei se me orgulho ou se renego a autoria dessa historia de “cidadão de lugar algum” 🙂

    E Dessa, você é uma fofa(2) :*

  4. 4 Janaína Calaça fevereiro 11, 2008 às 5:42 pm

    Dessa,

    espero mesmo que você possa voltar logo, logo mesmo. Se há algo que sempre valorizei muito em minha vida são os amigos que vou ganhando ao longo da mesma. Obviamente, nem todos são muito dignos de ganhar este título, afinal nem todos acreditam que a amizade realmente tenha um valor grande.
    Fico feliz de ter conhecido você e a Jana. Vou guardá-las comigo e espero que a gente não se perca. Estarei por aqui se precisar de um par de orelhas e um abraço crec crec e que o que começou tão bem só cresça e ganhe mais e mais espaço em nossas vidas. 😀

    Beijãooooooooooo

    Jana.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Flickr Photos

fevereiro 2008
S T Q Q S S D
« jan   mar »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
2526272829  

RSS Twitter

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

%d blogueiros gostam disto: