;)

Como em meu último post a coisa estava bem feia e triste, achei que era minha obrigação vir até aqui e dizer, um ano depois, que estou bem e sobrevivi!

Não que alguém tenha perguntado ou se importe, maaaaas, não achei honesto deixar uma mensagem triste dessas como a última deste blog. Prefiro fazer a Poliana e jogar o jogo do contente, com a diferença que hoje estou contente de verdade😉

Há um ano atrás chutei o pau da barraca, disse tudo que estava engasgado, bati portas, gritei o que tinha que gritar e fiz a louca. Funcionou.

Nada mais libertador fazer a louca de vez em quando.

Pensem com carinho nisso.

Sobre o amor e a perda

“(…) Sou o som de uma única mão batendo palmas
Jogo tênis sem bola e golfe sem taco
neste jogo trocaram todas as regras,
E nunca admitem que eu estou jogando. (…)”

Sabe qual uma das piores dores do mundo? A da perda.

Você já perdeu alguém que você amava? Eu já. Algumas eu perdi porquê os desígnios dos céus resolveram levar lá para cima. Essa dor da perda, pela morte, eu sei lidar, ao menos sei como administrar bem. Agora perder alguém que vai morrendo aos poucos para você em vida… meu Deus, como essa dor vai esmagando, apertando dentro do peito. Perder assim dói.

Perder aquela pessoa que você ama para a mágoa, para o ressentimento, para a covardia, para a falta de respeito, para a rejeição, para a falta de consideração.

É tão estranho e me sinto tão vazia, apesar das lágrimas ainda não terem secado totalmente.

Eu olho para o futuro que sonhei e não vejo mais futuro. Faço um esforço para me lembrar dos meus sonhos coloridos e vejo tudo cinza. Fiz castelos na areia. E agora sou eu quem estou desmoronando. Eu me sinto tão cansada.

Onde eu estava todo esse tempo? Por quê, eu deixei me machucar tanto? Os sinais estavam ali mesmo, desde o início? Será que diziam mesmo, desde o começo, que eu jamais passaria de uma figurante na vida de alguém? De que sempre, sempre, eu estaria no último plano, que eu sempre seria a errada, que eu sempre deveria me conformar com os restos? De que sempre, em todos os momentos, sentiria na pele a rejeição e a exclusão?

Eu nunca pedi por uma escolha. Mas eu implorei por um equilíbrio.

Agora vejo o cansaço e o desânimo batendo em minha porta. E não faço absolutamente nada para impendi-los de entrar.

Dizem que o amor nunca acaba. Mas quando o ressentimento é maior que a esperança, certamente o amor já começa a querer dar seus últimos suspiros.

Pensamentos soltinhos…

As pessoas não querem religião. Querem um guru que responda todas as perguntas e resolva problemas que em geral elas mesmas criam. Isso se chama gênio da lâmpada e não existe.

Seguir uma doutrina exige que abandonemos nossa zona de conforto e nos dediquemos a outras coisas que não permeiam nosso próprio umbigo. Nessa sociedade hedonista que temos, satisfazer algo que não seja nosso próprio ego é quase uma heresia.

 

Reflexões da vida adulta feminina

Vou dizer algumas coisas, que jamais ousei sonhar dizer nessa minha humilde vida, mas vou dizer…

1 – Perfeição demais irrita e gente acomodada também;

2 – Você só descobre o quanto a educação que recebeu dos seus pais influenciam suas atitudes depois que sai da casa deles;

3 – Que tem gente que confunde amor e cuidado com frescura e excesso de proteção;

4 – Que a cada ano que passa você fica mais parecida com a sua mãe;

5 – Que um homem, bem lá no fundo, sempre espera que você aja como se fosse a mãe dele;

6 – E que essa expectativa tira qualquer mulher do sério;

7 – Que é muito feio gente que trata marmanjo como se fosse bebê, falando de forma infantilizada;

8 – Que mulheres que só tem filhos homens são as verdadeiras responsáveis por criar os machistas da sociedade;

9 – Que ter filhos pode ser bom, mas é uma grande responsabilidade e…

10 – … que devemos criá-los para o mundo, prepará-los para a vida de cão lá fora, para que saibam se defender e não se transformem marionetes na mão dos sem caráter;

E que fazer isso também é uma grande prova de amor.

Tristeza sem fim =(

Foi-se o tempo em que eu realmente era importante a ponto de alguém ficar acordado um pouco mais só para poder me dizer um”oi”.

Onde foi que isso se perdeu no meio do caminho?

Saudade, muita saudade das coisas que eu já não tenho mais.

 

Só me resta lamentar e escrever.

Amadurecendo e aprendendo a ser gente.

Eu tenho uma teoria de que as pessoas começam a ficar velhas quando passam a gostar do bombom de fruta que sempre sobra na caixa. E não porque sobrou e só existe aquela fonte de chocolate, mas porque de fato, como um milagre da natureza, você passou a gostar do sabor da banana misturada ao chocolate. E considere que em geral crianças detestam isso, só os adultos comem.😛

Eu me considero adulta porque eu sempre como esses bombons, rsrsrs. E aliado à isso, comecei a me arrepender por ter magoado algumas pessoas na vida. Isso só pode ser assim porque estou ficando velha.😛 Afinal, aos 17, por mais que tentasse ser uma boa cristã, eu não media minhas palavras e arregaçava mesmo. Acho que chateei muita gente. Bom, é… tenho certeza.

Agora, enxergando melhor algumas coisas (porque eu ainda continuo míope, só que estagnada), me pergunto se eu realmente precisava ter sido tão malvadinha, ainda que sem perceber. Ainda que não tenho sido de propósito. Talvez por pura falta de jeito ou de alternativa. Ou imaturidade, não sei ao certo.

Não estou escrevendo sobre isso só por causa do balanço de final de ano, na realidade tenho feito essa reflexão há alguns meses. E porque antes de mais nada, acredito que podemos evoluir, crescer e nos tornar pessoas melhores, especialmente ao lidar com o outro.

Não sei se a vida vai me permitir encontrar com as pessoas a quem magoei  para que eu possa pedir desculpas. Talvez nem seja necessário tudo isso. Talvez basta que eu mesma reconheça que errei por muitas vezes, e magoei tantas outras e diga em pensamento: desculpe. E depois me perdoar também, afinal, eu vivo me cobrando demais por perfeição.

E depois disso, passar a viver e ser ainda mais feliz. Mesmo porque, nessa estrada não vivemos apenas para magoar as pessoas, parte também é dedicada a trazer mais alegria e fazê-las um pouquinho mais felizes, ainda que por breves momentos.

E que venha 2011!

Vamos que vamos😀

Sobre quando acreditamos em algo…

Sabe a historinha que contei no último post? Sobre aquele versículo tão especial? Pois é, como eu sempre digo, ele funciona para minha vida! Colegas e todas as pessoas que passam por este blog (e algumas vezes páram para ler, rsrsrs), saibam que, ótimas notícias vieram para mim logo pela manhã (passei no mestrado!!!), provando que absolutamente nada é impossível quando trabalhamos pelo nosso objetivo e confiamos em Deus.

Porque com Ele todas as coisas são possíveis. Acredite!

Agora que já compartilhei e agradeci por isso, vou ali comemorar!😀

Bjos!!!


Flickr Photos

Da série: Fotos Estranhas I

Mais fotos
setembro 2016
S T Q Q S S D
« nov    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

RSS Twitter

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.